segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Flecha nas mãos de Deus ou arco nas mãos do diabo?


            

      

A Bíblia possui uma quantidade razoável de citações envolvendo arcos e flechas. Os contextos são variados. Gostaria de me embasar em alguns específicos a fim de expor uma idéia que tem sido gerada no meu coração.

Ouvi-me, terras do mar, e vós, povos de longe, escutai! O SENHOR me chamou desde o meu nascimento, desde o ventre de minha mãe fez menção do meu nome; fez a minha boca como uma espada aguda, na sombra da sua mão me escondeu; fez-me como uma flecha polida, e me guardou na sua aljava, e me disse: Tu és o meu servo, és Israel, por quem hei de ser glorificado. Isaías 49:1-3

A flecha é composta de 3 partes: uma ponta de material mineral, que vinha de debaixo da terra (antigamente pedra afiada), corpo vegetal (madeira) que estava plantado na terra e uma pena para dar direção, que, ainda na ave, estava constantemente voando entre o céu e a terra. A ponta diz da certeza do chamado e propósito de Deus. O corpo somos nós, plantados na terra e moldados pelo Carpinteiro até termos o formato exato de corpo. Semelhantemente, o Espírito nasceu de Deus e oscila entre o céu e a terra como pomba; nosso direcionamento fica a cargo Dele.

O Senhor nos faz como Flecha Polida e nos guarda em sua aljava até que haja o tempo propício de sermos, por Ele, lançados. O tempo da aljava é o teste do tempo e da confiança. Na aljava a flecha fica de ponta cabeça e não há muita visão, já que é um local apertado e escuro. É quando não perdemos a fé em Sua promessa nem a certeza de que somos chamados e que há um propósito específico para nossa existência.

Para ser lançada a flecha precisa de ângulos de inclinação específicos junto ao arco. Deus nos aponta para o alto (local distinto do qual cremos com os olhos naturais que nos levará ao alvo) e relutamos como crianças insensatas. Mas o Seu braço é forte e nos lança não por caminhos tortos, mas pelo Caminho certo. Flecha não dá para trás; não desvia de seu curso após o lançamento.

Porém a Bíblia usa arco e flecha para expressar uma outra realidade.

Maçã, espada e flecha aguda é o homem que levanta falso testemunho contra o seu próximo. Provérbios 25:18

Flecha mortífera é a língua deles; falam engano; com a boca fala cada um de paz com o seu companheiro, mas no seu interior lhe arma ciladas. Jeremias 9:8

Porque eis aí os ímpios, armam o arco, dispõem a sua flecha na corda, para, às ocultas, dispararem contra os retos de coração. Salmos 11:2

Maçã é uma fruta que, se podre, contamina todas as outras que estão postas junto a ela. A espada é uma arma de guerra usada para ferir e matar. E a flecha aguda (intensa, forte, afiada), certeira e destrutiva quando acerta o alvo.

E ainda:

Eles voltam, mas não para o Altíssimo. Fizeram-se como um arco enganoso; caem à espada os seus príncipes, por causa da insolência da sua língua; este será o seu escárnio na terra do Egito. Oséias 7:16

Esse versículo em especial ilustra a visão que quero compartilhar. Uma vez que somos flechas, há duas possibilidades de arcos (arqueiros) para nós: Deus e o diabo. Oséias diz que determinadas pessoas ‘fizeram-se como um arco enganoso’, ou seja, se puseram como arcos para as flechas (setas) de destruição do diabo. A dimensão disso é muito séria. Sutilmente tem aumentado as brigas e divisões, quer seja entre denominações, dentro das denominações ou contra os que ainda estão no mundo. Flechas inflamadas são lançadas aos montes a cada dia, sem nem mesmo haver consciência por parte dos tais “arcos enganosos”.

Você tem sido Flecha nas mãos de Deus ou arco nas mãos do diabo? O que eu mesma tenho sido? Tiago não se gastaria procurando alertar acerca do poder destrutivo da língua se não fosse realmente destrutivo e abundante na igreja. Ele escreveu para a igreja. Quer seja com atitudes, com palavras, com atos de orgulho e ofensa, quantos de nós temos sido um arco nas mãos do maligno e ainda assim enganamos a nós mesmos nos dizendo santos e aceitáveis a Deus? Ainda em Oséias o Senhor diz:

Atraí-os com cordas humanas, com laços de amor; fui para eles como quem alivia o jugo de sobre as suas queixadas e me inclinei para dar-lhes de comer.Oséias 11:4

Curarei a sua infidelidade, eu de mim mesmo os amarei, porque a minha ira se apartou deles. Serei para Israel como orvalho, ele florescerá como o lírio e lançará as suas raízes como o cedro do Líbano. Estender-se-ão os seus ramos, o seu esplendor será como o da oliveira, e sua fragrância, como a do Líbano. Os que se assentam de novo à sua sombra voltarão; serão vivificados como o cereal e florescerão como a vide; a sua fama será como a do vinho do Líbano. Ó Efraim, que tenho eu com os ídolos? Eu te ouvirei e cuidarei de ti; sou como o cipreste verde; de mim procede o teu fruto. Quem é sábio, que entenda estas coisas; quem é prudente, que as saiba, porque os caminhos do SENHOR são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão. Oséias 14: 4-9

Deus, em Seu supremo cuidado e amor, abre nossos olhos, nos livra do engano, nos sara e aceita de volta com braços abertos. Há sempre mais uma chance para aqueles que são filhos amados e alvos do Seu amor. Escolha ser Flecha Polida na Aljava do Pai, mesmo que o polimento doa e custe caro!

3 comentários:

  1. Ola.
    Belo estudo.
    A principio, escreve muito bem.

    Abraços.

    Rogeriozgayer@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Muito bom seu blog.

    http://psamigasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir